Sem amor nada somos

Minha viagem para a Terra Santa me ensinou muito. Toda viagem ensina. Quer dizer, se tivermos um coração ensinável. Se tivermos humildade para aprender.

Vi com meus próprios olhos como vivem povos cujo modo de pensar e agir é fundamentado na religião. Fiquei admirada com a disciplina com a qual seguem à risca as doutrinas e prestam culto ao deus que creem. Eu, que há mais de uma década me converti ao cristianismo protestante, nem em meus períodos mais fervorosos (se é que já tive algum) fui tão dedicada.

Os judeus jejuam todas as semanas, do pôr do sol de sexta até o pôr do sol de sábado. É o famoso shabat. Além disso, dependendo do grupo ao qual pertencem, se vestem, comem, se comportam de uma maneira específica, cumprindo todos os preceitos religiosos, que geralmente são passados de pai para filho ao longo das gerações. Os muçulmanos também são assim. Salvo as devidas proporções e seguindo as orientações de outro livro, o Alcorão, por um mês inteiro jejuam mais de 12 horas por dia, sem comer e beber nada,  o chamado ramadã, oram três vezes ao dia todos os dias, além de outras coisas.

Esses grupos religiosos, fiéis à identidade que se sentem pertencer, dificilmente se misturam a ponto de se casar ou mesmo ter amigos íntimos que não compartilham da mesma visão. Preferem se relacionar com seus pares a fim de proteger-se da influência externa.

Há outras religiões presentes na Terra Santa: o catolicismo e suas variações, o protestantismo e suas diversas denominações, talvez até religiões orientais ou africanas, isso não tenho certeza.

Refleti muito sobre essas coisas em minha viagem. Como oro pouco! Mal me lembro da última vez que jejuei. Fico analisando se meu comportamento condiz com o cristianismo que prego. Inclusive nas redes sociais.

Cheguei à conclusão de que ortodoxia sem amor mata. E amor sem ortodoxia não é de todo verdadeiro.

Por que na verdade, cumprir toda a lei pode parecer difícil, mas é ainda mais difícil fazer o que é certo quando somos livres para fazermos o que quisermos.

Quem será o árbitro? Quais parâmetros nos guiarão? Onde encontraremos as referências?

Obedecer porque a lei manda é fácil. Mas e se não existir lei nenhuma, onde encontraremos a verdade?

Na Terra Santa, cada povo, baseado em sua religião, segue as leis que a regem e se julgam detentores das verdades absolutas. É impressionante a maneira como vivem a rigor aquilo que acreditam, ou aquilo que lhes foi ensinado.

Não conheço tão a fundo todas as religiões, mas acredito que o bem seja o alvo de todas elas.

Então por que a Terra Santa é palco de tanta rivalidade, ódio, guerras, intolerância e preconceito? De todos os lados! Ali ninguém é inocente.

Paulo responde em I Coríntios 13: Ainda que falemos a língua dos homens e dos anjos, ainda que sejamos generosos e compartilhemos nossos bens, ainda que sejamos crentes convictos e cumpramos toda a lei, ainda que tenhamos muito conhecimento sobre teologia, filosofia, política, história, as ciências em geral… Sem amor nada somos.

Paulo ainda diz: “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor”.

O que é fé? A certeza daquilo que não se vê. Contudo, chegará o dia em que veremos Deus face a face e não precisaremos mais de fé.

O que é esperança? Acreditar que algo que queremos muito vai acontecer. No entanto, chegará o dia em que não precisaremos mais esperar por nada, pois todas as nossas necessidades serão sanadas. Por isso não precisaremos mais ter esperança, o que esperávamos terá se concretizado.

E o amor? Ah, o amor sim, precisamos dele e precisaremos para sempre. Porque Deus é amor e a eternidade sem Deus seria o pior dos destinos.

Falta amor na Terra Santa. Falta amor no Brasil. Falta amor no mundo. Às vezes nos julgamos detentores do bem e da verdade, mas não conseguimos amar nem a nós mesmos como convém.

Busquemos a justiça social, busquemos combater a violência, busquemos acabar com o preconceito, busquemos a paz mundial, busquemos o desenvolvimento sustetável, defendamos os pobres, as minorias, os oprimidos, balancemos nossas bandeiras!

Mas sem amor, não chegaremos muito longe. Sem amor nada somos.

IMG-20171227-WA0003

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s