Deus escreve certo por linhas tortas

Hoje eu decidi reler o livro de Mateus e quando me deparei com todos aqueles nomes da genealogia de Jesus apresentados no capítulo 1, pensei seriamente em pular e partir logo para o versículo 18. Sempre me perguntei para que registrar na Bíblia as árvores genealógicas e qual ensinamento poderíamos retirar dali além de conhecimento histórico. Então respirei fundo e comecei a ler Mateus do início mesmo.

Abraão foi o pai de Isaque, que foi o pai de Jacó, que foi o pai de doze filhos, dentre eles Judá. Até aí tudo bem, eu sabia de cor. Mas saber de cor não quer dizer saber de verdade. Se fosse eu a escrever esse livro, eu continuaria a linhagem mais importante de Abraão a partir de José, que foi o filho de Jacó cuja história mais se destacou no Antigo Testamento, além de ser o preferido de seu pai. Mas o capítulo 1 de Mateus segue a partir de Judá. Isso me fez parar para pensar que Deus não escolhe as pessoas a partir da força, da beleza, da reputação, nem mesmo com base na meritocracia ou por as achar pobres coitadas, vítimas do “sistema”. Deus escolhe quem Ele quer, quando quer, e não tem de dar satisfações sobre seus critérios, porque Ele é Deus.

Então Judá foi o pai de Perez e Zerá, gêmeos, cuja mãe foi Tamar. Quando li a história de como essas crianças foram geradas, achei uma maluquice, e das grandes. Mas qual de nós tem uma vida imaculada do início ao fim? Quantas crianças no mundo não foram geradas a partir da maluquice de seus progenitores? Maluquices geram consequências, algumas delas terríveis. Mas as trevas se dissipam na presença de Deus e é dessa maluquice de Judá e Tamar que Deus continua a escrever certo pelas linhas tortas.

E Perez foi o pai de Esrom, que foi o pai de… etc., etc, que foi o pai de Salmom, que foi o pai de Boaz, cuja mãe foi Raabe. Raabe era prostituta em Jericó. O livro de Josué conta que durante a conquista daquela cidade pelos israelitas, dois homens foram enviados em missão por Josué e acabam sendo perseguidos pelos inimigos. Eles se abrigam na casa de uma mulher e ela os protege dizendo à “polícia” que não sabia onde os espiões estavam. Na verdade os dois homens estavam escondidos no telhado. Depois que os israelitas tomam a cidade, poupam a vida de Raabe e sua família. Ela acaba se casando com Salmom e gerando um filho chamado Boaz.

Mais uma vez Deus surpreende. Deus escolhe uma prostituta para prosseguir a linhagem. Isso é surpreendente. Sou escritora e há pouco escrevi uma história chamada “A Alma Dentro de Mim” na qual há personagens ligadas à prostituição. Confesso que foi difícil não julgar minhas personagens, foi difícil conseguir enxergar a humanidade dentro delas, e extrair as virtudes que elas possuíam. Aprendi muito. Parece que a gente esquece que somos todos seres humanos.

Deus não rejeitou Raabe. Ao contrário, inseriu-a na história, de tal modo que seu nome ficou registrado no livro mais importante do mundo. Raabe nunca será esquecida. E ela foi a mãe de Boaz, que se casou com uma viúva chamada Rute. Uma viúva que até então vivia uma história de derrota e miséria, sem perspectiva, mas que mesmo assim se manteve fiel à sua sogra para que juntas tentassem sobreviver à escassez. A vida das mulheres sempre foi muito difícil. O destino de uma viúva naquela época, ainda por cima sem filhos, era mendigar, viver na sarjeta.

Mas Rute e Boaz se conhecem e se casam e concebem Obede, que foi pai de Jessé, que foi pai de Davi, que foi escolhido rei muitos anos depois. Davi, o mais inútil dentre os irmãos, pequeno, fraco, desprovido de uma beleza fenomenal… E Davi cometeu muitos erros, dentre eles se deitar com uma mulher casada. E esse adultério gerou drásticas consequências. Davi se arrependeu amargamente. Deus o puniu, mas também o perdoou. E foi com essa mulher que Davi teve um filho chamado Salomão. Então aqui, dentre inúmeros ensinamentos, podemos ter a certeza de que mesmo com os nosso erros, e alguns de nossos erros são abomináveis, grotescos, nojentos… Mesmo assim, se nos arrependermos, mesmo que Deus não nos poupe das consequências, Ele nos perdoa e continua nos ajudando a escrever a nossa história. Deus não nos rejeita, por mais imperfeitos e perversos que sejamos.

E Salomão foi o pai de Roboão, que foi o pai… que foi o pai… etc., que foi o pai de José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama Cristo.

O natal é para celebrar esse nascimento. “Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel, que é Deus conosco’. – Isaías 7:14 –

Ao nosso ver parece mesmo que Deus escreve certo por linhas tortas. Mas talvez elas sejam tortas só do nosso ponto de vista, impregnado de preconceito e sofismas. O que importa é que Deus é bom e justo, olha para nós com misericórdia e nos aceita. Ele nos aceita. A luz Dele brilha nas trevas do nosso coração e nos guia. Ele nos enviou Jesus Cristo, esse mesmo Jesus que nasceu nessa família complicada e marcada por vitórias e tragédias.

Glória a Deus por Jesus Cristo. Que Ele seja Senhor nosso, que o Reino Dele venha, e que a vontade Dele seja feita na Terra assim como é feita no céu.

Feliz Natal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s